quarta-feira, 27 de julho de 2011

Vergonha européia


A xenofobia recrudesce lentamente na Europa desde o pós-guerra, e nunca esteve tão forte e estruturada. O fenômeno atinge até mesmo os turistas, que amargam o desprezo (e amiúde o escancarado preconceito) de autoridades e moradores. A gaiola do aeroporto espanhol de Barajas é apenas o exemplo acintoso de uma prática bastante disseminada pelas ruas.

Os atentados na Noruega não desmascaram apenas a face tenebrosa do nacionalismo radical europeu. O perplexo espírito conservador ocidental (muito particularmente o brasileiro) não sabe como lidar com a chacina perpetrada por um norueguês jovem, rico e bem-educado, sob a torturante incompetência das forças de segurança locais.

Quem está acostumado a louvar a superioridade civilizatória do Velho Continente não assimila uma explosão e fuzilamentos na impoluta, rigorosa e segura Escandinávia. Os apologistas da pureza étnica (“crime na Europa é coisa de imigrantes”) chocam-se ao constatar que alguém de tez rósea, olhos translúcidos e topete loiro pode agir feito um selvagem. E os partidários da islamofobia estremecem diante de uma barbaridade que há pouco justificava seu ódio ao fundamentalismo islâmico.

Nem o antigo recurso de culpar as próprias vítimas pode aplacar a náusea do colonizado jeca (“ninguém mandou ser ilegal”, ele resmunga, quando a polícia da metrópole espanca desvalidos nos arrabaldes da capital charmosa). É por isso que já começam a aparecer análises responsabilizando o falecido Osama Bin Laden pela insânia do puro e inocente cidadão norueguês.

3 comentários:

Anônimo disse...

Será por isso que os jornalões insistem em chamar o assassino norueguês de "atirador" em vez de chamá-lo, mui apropriadamente, de "terrorista"?

Bruno Ribeiro

Guilherme Scalzilli disse...

Oi Bruno, seu sumido! É verdade, como sempre, a denominação usada pela imprensa obedece às conveniências momentâneas. "Louco" é outro adjetivo que tem servido para o mesmo propósito.
Um abraço do
Guilherme

Wa Mor disse...

Não me espanta esses doidos, depois dos massacres aos judeus, e chineses
Era muita gente envolvida"militares" e outros... sobrou muito DNA....
Por aqui o massacre é nas ruas sem respeito aos pedestres por todos, as bikes por ate motos, motos e carros por onibus e caminhões, e assim vai seja pequeno pra um maiorzinho te amassar..
BOA SORTE.