quarta-feira, 11 de junho de 2008

“Beleléu, Leléu, Eu”

Primeiro disco de Itamar Assumpção (1949-2003), com acompanhamento da banda Isca de Polícia, lançado em 1980. Itamar participou da chamada “Vanguarda Paulistana”, ao lado de Arrigo Barnabé, Tetê Espíndola, Ná Ozetti, Premeditando o Breque, Rumo, Língua de Trapo e muitos outros talentos mais ou menos ignorados pela grande imprensa cultural.
Genial e genioso, Itamar fazia música elaborada visando grandes públicos. Odiava o rótulo “maldito”. Sua trajetória foi marcada pela tentativa de conciliar um refinamento poético e musical com o repertório popular do samba, do funk e do roquenrol.

“Fico louco”, talvez sua música mais conhecida, surgiu no “Beleléu”.





E aqui, vinheta, em gravação ao vivo.



2 comentários:

Anônimo disse...

Vc deve conhecer, mas não posso deixar de registrar o fantástico disco dele com Nana Vasconcelos, pena que é tão pequeno, fica no final, como ficou com a morte do Itamar, um gosto de quero mais...

Heder

Guilherme Scalzilli disse...

Heder,
foi um trabalho tumultuado, envolto em discussões de Itamar com Naná e com o produtor inicial (Zeca Baleiro?). Mas o resultado é excelente, muito graças à maestria do percussionista. E, claro, a morte de Itamar foi um desses absurdos que a gente não assimila direito.
Um abraço do
Guilherme Scalzilli