sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Acabou a mamata do "call center"

Arre! Finalmente surgiu uma regulamentação para as centrais de atendimento (leia mais aqui). Lula possui o trunfo histórico de ter mexido nesse formigueiro depois de longeva omissão do Poder Público e danos imensuráveis à sociedade.
Os chamados "call centers" são subprodutos da permissividade lesiva que contaminou a prestação de serviços em tempos de privatizações, concessões e outras armadilhas “modernizadoras” do aparato estatal. Criaram um simulacro de agilidade administrativa que reproduz os labirintos burocráticos kafkianos do passado, com o agravante de confinarem o usuário à assepsia inofensiva da linha telefônica.
Os balcões caminham para a extinção, e por motivos bastante compreensíveis. O teleatendimento evita filas intermináveis, constrangimentos públicos, ameaças de usuários enlouquecidos, fotografias indesejáveis. A precariedade dos serviços prestados está lá, agravada pelas circunstâncias, mas oculta sob o manto da impessoalidade.
O predomínio da iniciativa privada exige uma postura institucional de absoluta intransigência contra o desrespeito ao consumidor. Não sendo possível extinguir as centrais de atendimento, tornava-se imperioso ao menos enquadrá-las nos preceitos mais básicos da legalidade.
A população vai estar comemorando a iniciativa e vai estar fiscalizando sua observância, mesmo que esteja continuando a suportar esse maldito dialeto callcenteriano.

4 comentários:

Anônimo disse...

quase tive um ataque ao ler o último parágrafo...mas depois entendi.

Henrique disse...

Ótima. Esta regulamentação no teleatendimento já "estava demorando" para ocorrer. Chega de derrubar as ligações; chega de esperar quase meia hora, ou mais, para fazer um concelamento de serviço; chega de ser jogado de ramal em ramal, para resolver um simples problema. Precisamos de um SAC que agilize o serviço e não coloque barreiras, como derrubar ligações, para nos cansar e forçar a desistirmos da idéia que nos fez entrar em contato com eles(SAC).

adriano a pereira disse...

Só falta agora o Lula mexer no vespeiro do latifúndio, do Dantas, da dívida pública, do monopólio das comunicações....

Roberto Barricelli disse...

O teleatendimento não acaba com as filas intermináveis, ele só as transfere, ou seja, ao invés de ficarmos em uma fila imensa que termina em um balcão, ficamos em uma fila telefônica que, normalmente, é muito maior.
Mas essa regulamentação, que dá ao call centers até 120 dias para se adaptarem à ela, é realmente o primeiro passo rumo a diminuição do "sofrimento" pelo qual passa um indíviduo que tenta utilizar o serviço.