sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Rodoalgema

O Rodoanel paulista poderia ser um dos poucos legados positivos do longo e tenebroso inverno sob governos tucanos. Um gigantesco desvio viário que permita rumar a outros Estados, ao interior e ao litoral, sem congestionar ainda mais o trânsito da capital, tinha tudo para dar certo, nos limites possíveis.
A única maneira de estragar o empreendimento seria instalar pedágios que empurrassem os motoristas de volta para as ruas paulistanas. Pois foi exatamente isso que a administração José Serra fez.
Mas ninguém ali é estúpido. O vampirismo arrecadatório baseia-se em puxões de tapete sob os contribuintes, fechando-lhes as alternativas quando eles menos esperam. Serra jamais prometeria pedágios no Rodoanel em sua candidatura a governador, mas agora faz de tudo para meter as unhas no bolso do idiota que paga seu salário.
Devemos admitir que os apaniguados da truculência serrista construíram uma couraça muito eficaz ao redor do candidato a presidente da República. Recentemente, alguém conseguiu suspender a cobrança dos pedágios no Rodoasno; em questão de horas a liminar foi derrubada por um alto magistrado, que lavrou sua decisão à caneta, no verso da petição. Coisa de gente graúda. Serra quer, Serra consegue.

3 comentários:

Caim disse...

E para infelicidade geral da nação: diga ao povo que também haverá pedágios nas marginais. Assim ficamos num beco sem saída!

Junior disse...

Enquanto o mundo vai parolando...

Anônimo disse...

É o nosso grande José Serragio. Lamentável.