segunda-feira, 23 de novembro de 2009

O caráter porcino

Publicado na revista Caros Amigos, em novembro de 2009.

Alguns comentaristas orgulham-se em qualificar sua oposição ao governo Lula como “espírito de porco”. A expressão dispensa comentários: calcada na suposta lucidez contestadora, tenta dissimular (e pateticamente evidencia) uma essência antidemocrática muito semelhante à do udenismo golpista dos anos 1960.

O fenômeno tem porta-vozes identificáveis, por exemplo, nas tentativas de politização da tragédia com o avião da TAM, dois anos atrás. Diogo Mainardi e Reinaldo Azevedo (Veja), Dora Kramer (Estadão), Ali Kamel (Globo), Jorge Forbes, Márcia Tiburi e Betty Lago (GNT), Míriam Leitão e Merval Pereira (CBN), Eliane Cantanhêde e Danuza Leão (Folha) responsabilizaram as autoridades federais, antes de qualquer investigação, aproveitando a dor generalizada para pedir o afastamento de ministros e até do presidente da República. Certo Francisco Daudt chegou ao cúmulo de afirmar que “o governo assassinou mais de 200 pessoas”.

Esses personagens promovem muitas outras unanimidades abjetas, escorados na pretensa modernidade do conservadorismo cínico e moralista que já alcança hegemonia mundial. À parte os vícios ideológicos e o proselitismo partidário, suas mensagens são perigosas porque, misturando pruridos elitistas, fascínio cosmopolita e farisaísmo ético, resultam em desprezo pelas instituições republicanas.

Esse subtexto explica porque o discurso porcino soa tão uniforme, embora cheio de contradições. Há uma lógica nefasta em atacar ao mesmo tempo as mordomias e as festas juninas palacianas, o “bolsa-esmola” e os privilégios do capital, o nacionalismo e a subserviência, as impropriedades verbais e o destaque internacional de Lula. Trata-se de negar a própria legitimidade do mandatário que comete a ousadia de ser “popular” (na dupla acepção da palavra), revelando um país que seus adversários detestam.

Um comentário:

Dona Cris disse...

Diogo Mainardi e Reinaldo Azevedo (Veja), Dora Kramer (Estadão), Ali Kamel (Globo), Jorge Forbes, Márcia Tiburi e Betty Lago (GNT), Míriam Leitão e Merval Pereira (CBN), Eliane Cantanhêde e Danuza Leão (Folha) ... hahahahahahah...boa parte da corja! mas não toda : /