quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

A ocupação do Haiti


A catástrofe oculta uma disputa mal dissimulada pelo controle militar do Haiti. A cúpula do Canadá assumiu o fato abertamente, sem tomar medidas efetivas para preveni-lo.

É óbvio que as necessidades urgentes da população, em meio ao caos administrativo, exigem soluções drásticas. Mas a agressividade das tropas dos EUA, seu desprezo pelas instituições haitianas e a arrogância com que utilizam a superioridade bélica para assumir o comando da reconstrução evidenciam o espírito colonizador dessa duvidosa solidariedade.

A Minustah, sob comando brasileiro, foi importantíssima para a pacificação do país. A grande imprensa nacional, subalterna e jeca, desaprova nossa bandeira diante do palácio arruinado, mas aplaude comovida a propaganda dos painhos gringos, repentinamente preocupados com uma nação que eles ajudaram a destruir e depois abandonaram. Plano Marshall pode, Plano Lula pega mal.

Todos sabem como será cobrada essa dívida impagável do povo haitiano, refém de um exército especializado em realizar geopolítica na base do bombardeio. Nossos comentaristas aproveitam a tragédia para neutralizar as conquistas e pretensões internacionais da bem-sucedida política externa brasileira. É exatamente a mesma estratégia de Washington.

2 comentários:

infinitoaldoluiz disse...

“Está se consumando a crônica anunciada e previsível da nova ocupação do Haiti pelos Estados Unidos, desta vez aproveitando o terremoto que devastou o país e sua capital.”
Terremoto que eles mesmos “criaram” com sua arma H.A.A.R.P. para modificação do clima. Terremotos, furacões, inundações, secas, tornados, prospecção do subsolo, interferência nas comunicações e muitas outras barbaridades como alterar com precisão absoluta toda e qualquer freqüência de onda eletromagnética. Inclusive as freqüências cerebrais para complemento da sistemática midiotização para o insuspeito extermínio do “excesso” da humanidade que escraviza e que lhes é indesejável continuar alimentando.
Thomas Jefferson em 1804 advertiu que a liberdade dos Escravos no Haiti foi um mau exemplo. “Dizia que era necessário” confinar a peste naquela ilha.
A agenda da NOVA ORDEM MUNDIAL ESCRAVAGISTA ANGLO AMERICANA NAZI SIONISTA para implantação do 4º Reich segue acelerada e encoberta pela midiotização massiva de sua total propriedade.

Anônimo disse...

Os Americanos estão lá para dar uma força.
São os mais poderosos do Mundo.
Por serem os mais poderosos , naturalmente esperam por uma potência que possa derrotá-los de uma forma geral .
O Brasil está tranquilo , fazendo sua parte . Os Americanos não brincam em serviço e pisam em cima de todo o mundo se for necessário.
Vamos ajudar o Haiti e derrotar o Imperialismo Americano quando for possível.