sexta-feira, 13 de maio de 2011

“Thor”



Resta a sensação de que outro elenco levaria o filme aos porões do trash. Talvez a busca de algum “prestígio” artístico tenha forçado os produtores a apelar para tantas celebridades subutilizadas. O diretor Kenneth Branagh também concede vapores artísticos a uma história infantil que, me perdoem os puristas, não empolga nem nos quadrinhos.

Mesmo diante dos melhores efeitos visuais do planeta (e não é bem o caso), permaneceria o incômodo de estar cercado de espectadores adultos que torcem por cabeludos envergando barbas tingidas e armaduras medievais.

2 comentários:

Anônimo disse...

hora da gramática normativa: envergando não estaria mais correto?

Guilherme Scalzilli disse...

Oi Anônimo, grato pela correção. Já arrumei o texto.
Abs
Guilherme