sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Cheiro de fritura

Está cada vez mais difícil ignorar os indícios de um movimento, articulado em diferentes setores do Poder Público e da mídia, para transformar a Operação Satiagraha em paçoca. Apenas as suspeitas de irregularidades no inquérito, propagadas com a estranha colaboração da imprensa paulista, são suficientes para os advogados de Daniel Dantas recorrerem indefinidamente de decisões contrárias a seus interesses. Cada detalhe técnico do processo receberia um questionamento específico, prorrogando a decisão final até um tempo de ficção científica. Percebe-se uma resignação fatalista nas declarações de autoridades e analistas, como se operações policiais de tamanha envergadura fossem impossíveis pelas vias “normais” da ética e da legalidade.

2 comentários:

Felipe disse...

Dá preguiça se informar sobre esse assunto, um cidadão comum não tem saco pra isso. As análises estão muito rebuscadas, o discurso que vem sendo feito está no campo do direito. É o direito substituindo a política. A ética é um assunto pra política ou para o direito?

IAMoraes disse...

Bom, essa fritura ja esta sendo preparada sim. Procure observar como a cobertura do congresso vai aumentar gradativamente aa medida que o dia DD chegar mais perto. Procure notar tambem que estao oferecendo algum peixe grande de outro caso, um juiz, pra cronometradamente detonar. A media vai fazer um barulhao --mas so de distracao, logico-- enquanto DD sai pelas portas do supremo.