quarta-feira, 12 de maio de 2010

"O segredo dos seus olhos"


O argentino Juan José Campanella trabalha nos EUA há mais de uma década. Dirigiu episódios de séries conhecidas como “House” e “Law and Order”. Sua familiaridade com a indústria cinematográfica local foi determinante para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro conferido a “O segredo dos seus olhos”.

O filme foi esnobado pela crítica brasileira, em grande parte movida por bairrismo tolo e inveja. Não, não é tecnicamente melhor do que os filmes de grandes produtoras nacionais. Se alguém quiser buscar a superioridade do cinema argentino, deve começar pelos filmes bem escritos, baratos e sensíveis de Daniel Burman e Lucrecia Martel.

O problema de “O segredo” é tentar equilibrar-se num excesso de paradoxos. Parte de um romance cheio de complexidades, mescla gêneros (história de amor, tramas policial e política, comédia e dramalhão), oscila entre o intimismo e o virtuosismo técnico.

Suas qualidades, porém, suplantam as imperfeições. O elenco central (Ricardo Darín, Soledad Villamil, Guillermo Francella), os diálogos inspirados e o deslumbrante plano-seqüência no estádio do Huracán valem por si sós.

4 comentários:

Galerius disse...

Outro dia eu ouví uma entrevista do Campanella. Eu nunca tinha ouvido o nome dele antes pois faz anos que não assisto filmes. E o reporter lhe peguntou porque um filme na Argentina de orçamento pequeno e não nos EU onde ele mora e faz muito sucesso. Ele disse, quando ele quer fazer filme que gosta ele faz filme na Argentina porque nos EU eles só querem entretenimento e dão pouco espaço para conteúdo. E disse sem ofender ninguem. Ele me pareceu ser uma pessoa muito elegante e um artista bem entendido.

Carlos Morales disse...

Ghilherme:
O estádio é o de Racing Club de Avellaneda.
De resto, tudo bem.

Guilherme Scalzilli disse...

Oi Carlos, obrigado pelo toque. Mas parece que é a "cancha" do Huracán mesmo, o estádio Tomás A. Ducó. Só não me lembro se, na trama, o Racing joga ali como visitante ou numa fictícia sede própria.
Dá uma olhada aqui:
http://www.perfil.com/contenidos/2010/03/08/noticia_0036.html
Abração do
Guilherme

Carlos Morales disse...

Você tem razão, Guilherme. É "la cancha" de Huracán mesmo.
Obrigado.