sexta-feira, 4 de março de 2011

Mistério 2

“Muita gente acha que é preciso esquecer essa história de jornal de esquerda, e pensar na internet. De minha parte, acho que nos próximos 15 ou 20 anos, haverá espaço para os dois. A esquerda brasileira – ainda mais depois do bombardeio que vivemos durante a campanha eleitoral – teria a obrigação de criar um grande jornal (diário?) de circulação nacional. O que impede que isso aconteça?”

Rodrigo Vianna, em sua coluna Tacape, na edição de janeiro de Caros Amigos. Mais sobre o Mistério aqui.

3 comentários:

otoni disse...

Apoiado

Djalma disse...

Outra vez, por aqui: se não considerarmos o jonral "Brasil de Fato"; o jornal "Causa Operária"; ou mesmo as publicações - "Caros Amigos"; "Carta Capital"; "Fórum"; Teoria e Debate"; enquanto publicações de esquerda- ainda que levemos em consideração as divergêcias quanto aos pontos de vista defendidos por todas as publicações mencionadas; temos então duas questões: ou estão ignorando todas elas, enquanto publicações de esquerda, ou estão defendendo por aí, a criação de um veículo de esquer de discurso único!

Guilherme Scalzilli disse...

Djalma, qualidade à parte, essas publicações são periódicas, de tiragens muito restritas e perfil eminentemente analítico. O que defendo, e penso estar em questão nos depoimentos citados, é a criação de veículos informativos com atuação permanente e abrangência no mínimo regional, que disputem o mercado das mídias corporativas. No caso de um jornal, seria informativo e diário, estruturado como as redações tradicionais, focadas na reportagem. Mas isso vale para um canal de TV e também, principalmente, para uma rádio.
O mais importante, creio, é extrapolar o nicho estudantil/partidário/acadêmico e apresentar-se como verdadeira alternativa aos cartéis das mídias noticiosas vigentes.
A pergunta, aliás, permanece: por que a esquerda não consegue se articular para pensar "grande" quando se trata de comunicação e jornalismo?
Um abraço do
Guilherme