quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

“Jaco Pastorius”

Estréia solo do instrumentista, em 1976, com uma seleta de músicos do porte de Michael Brecker, Herbie Hancock e Wayne Shorter.
Jaco (1951-87) ainda é considerado por muitos o maior baixista do jazz moderno. Gravou com Pat Metheny e Joni Mitchell. Participou do lendário grupo Weather Report, com Joe Zawinul e Shorter, entre muitos outros, incluindo os brasileiros Airto Moreira e Dom Um Romão.
Jaco sofria de transtorno bipolar, agravado pelo uso intensivo de substâncias alteradoras da consciência. Suas baixarias homéricas tornaram-no folclórico e incômodo no ambiente musical. Durante uma delas, atracou-se com um gerente de boate, faixa-preta de caratê, que o espancou brutalmente. Morreu em decorrência dos ferimentos alguns dias depois.
Os fãs mantêm uma bela página em sua homenagem.

“Come on, come over” é a segunda do álbum.




3 comentários:

Jr Souza disse...

Sempre ouvi falar dele. Desde garoto quando comecei a escutar um som "fora do tradicional". To escutando agora pelo site - http://www.deezer.com/br - é maravilhoso, preciso comprar isso.
Abraços e como sempre ótimos post por aqui.

Guilherme Scalzilli disse...

Olá Jr Souza, obrigado pelo elogio. Conto com sua ajuda para divulgar o blog. Dê tb uma olhada no índice de arquivos, aba Música, para outras citações sonoras.
Abs do Guilherme

livreacao disse...

No baixo jamais existiu um cara que superasse Jaco Pastorius. Ainda me lembro que enquanto jovem, quando aprendi a tocar baixo com músico de cantina italiana residente no bairro da Saúde, meus amigos e eu passavamos horas assistindo vídeos ou escutando as músicas de Pastorius. Recordo que uma vez, com meu curto salário de office-boy cheguei a pagar quase oitenta reais por um Cd importado do Jaco. Novidade na época. Bons tempos aqueles.