sexta-feira, 23 de março de 2012

O Derby faz cem anos




O jogo de amanhã no Majestoso marcará um século de disputas entre Ponte Preta e Guarani. É o mais antigo confronto paulista envolvendo times rivais da mesma cidade. A presunçosa crônica paulistana ignora o evento para não ofuscar a ilusão de pioneirismo que ajuda a forjar a pretensa superioridade dos seus times favoritos.

Muita apreensão envolve a partida. Um torcedor bugrino morreu numa pancadaria com pontepretanos, recebeu tratamento de mártir pela imprensa local e o clima em algumas rodas é de revolta e vingança. O presidente do Guarani sugeriu que a partida fosse adiada ou transferida para outra cidade, mas felizmente a diretoria da Macaca rejeitou a péssima idéia. Outra bobagem proposta, a realização futura de jogos com torcida única, precisa ser rechaçada o quanto antes pelos sensatos.

Não importa onde seja aplicado, esse remendo com ares modernosos apenas recicla o espírito arbitrário que motiva os toques de recolher, as leis secas, os Estados de exceção de qualquer tipo. Não é a sociedade civil que deve pedir o aval da polícia militar para promover seus eventos, é a PM que tem a obrigação legal de garantir segurança a eles.

Se quisesse, mas se quisesse mesmo, o comando policial daria totais condições de civilidade a qualquer partida de futebol, mesmo entre as mais bárbaras súcias de imbecis. Não o faz porque, para a PM, quanto pior, melhor. Cada rebu desnecessário avança um metro na direção da ausência de torcida, sonho das autoridades, porque resguardaria o efetivo, economizaria insumos e encargos, ajudaria a baixar os índices de truculência da corporação. Antes de significar um atestado de incompetência das polícias, entretanto, a violência lhes fornece um bode expiatório. Para tanto, elas só precisam atiçar a revolta dos torcedores, para em seguida tratá-los como bandidos.

Tantas implicações aumentam a importância do jogo, para além dos aspectos históricos ou meramente futebolísticos.

3 comentários:

Bruno Ongaratto disse...

Ótimo texto. Mas o Dérbi campineiro não é o clássico mais antigo do Brasil envolvendo times da mesma cidade. Fluminense e Botafogo jogaram pela primeira vez em 1905, daí o apelido de "Clássico Vovô"; o primeiro Gre-Nal foi disputado em 1909; no mesmo ano,nascia a rivalidade entre Sport e Náutico.

Guilherme Scalzilli disse...

Bruno, acabdo de corrigir o texto. Não sei de onde tirei essa informação errada. Na pressa acabei "nacionalizando" a antiguidade. Exagero de alvinegro em véspera de derby. Mas obrigado pelo aviso.
Abraço do
Guilherme

Anônimo disse...

Mas mesmo assim Guilherme, não imaginava que esse Derby fosse tão antigo assim, é uma bela rivalidade mesmo...abs Felipe