sexta-feira, 13 de março de 2009

A ONU continua repressiva

A Comissão de Narcóticos das Nações Unidas divulgou ontem seu novo documento, após dez anos da fracassada política repressiva imposta pelos EUA. Contrariando a experiência bem-sucedida nos países europeus e no Canadá, que, juntamente com Organizações Não-Governamentais, defendiam uma revisão do enfoque, este continuará proibicionista, criminalizador e segregacionista.
O texto comete algumas barbaridades inacreditáveis. Evita sistematicamente qualquer menção à “redução de danos”, estratégia civilizada para lidar com a dependência de drogas. Também determina um prazo ridículo para “minimizar ou eventualmente extinguir” as drogas ilícitas do mundo (o autor devia estar louco de alguma coisa).
Nem mesmo a gritante evidência estatística ou os depoimentos de milhares de especialistas foram capazes de derrubar o proibicionismo obtuso que apenas alimenta o crime organizado, a corrupção estatal e a marginalização dos usuários. Espera-se que Barack Obama (que admitiu ter dado uns tapas e tecos na juventude) encaminhe uma guinada mais inteligente para o posicionamento de sua diplomacia.

2 comentários:

Mariana Silveira disse...

A Onu é, em sua totalidade, ridícula.
Li você no 'Caros Amigos' - Fatos Consumados (Fevereiro 2009).
Gostei e vim te visitar no blog.
Um abraço!

IAMoraes disse...

"Repressiva"?!

Nao era melhor dizer "vaca" de uma vez e acabar com a historia?

Pelo menos o mundo inteirinho ja sabe uma coisa: a "guerra contra drogas" eh uma desgraca. So tem vitimas.