segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Todos já sabiam



A crônica foge de uma reflexão adulta sobre o péssimo nível técnico do Campeonato Brasileiro, especialmente dos times paulistas. Essa “emoção” que muitos comemoram tenta redimir a modorrenta fórmula de pontos corridos emprestando-lhe o apelo das decisões, estranhas à sua natureza previsível e manipulada.

Novamente os times que receberam mais dinheiro conquistaram as melhores posições. Novamente os menos favorecidos terminaram nos últimos lugares. O falso dinamismo insinuado pelas irrisórias exceções não perturba essa tendência geral, que se repete a cada temporada. Não temos a polaridade exclusivista do campeonato espanhol, por exemplo, mas, para as nossas dimensões, um rodízio entre seis ou sete concorrentes eternos possui o mesmo significado.

Falar em “justiça” e “regularidade” é absurdo. O sistema de pontos corridos só vigora no país porque a distribuição desigual de verbas garante o sucesso dos clubes mais influentes. Assim também as arbitragens marotas soam triviais e superáveis, embora tenham grande peso no resultado final. As únicas chances de um clube menos poderoso contrariar esse arranjo são destruídas pelo próprio regulamento.

O empate que selou o título do limitado time corintiano é uma síntese perfeita da maior competição do futebol nacional.

4 comentários:

Carlos Morales disse...

Discordo totalmente da sua análise.
Num sistema de mata-mata também tem clubes que recebem mais dinheiro.
Deve haver alguma coisa muito errada num campeonato que permite ser campeão ao 8º colocado ( isso já aconteceu )
Respeito sua opinião, mas, desculpe-me, é absurda.

leonardo-pe disse...

e do jeito q vai,a Tv aberta vai destruir de vez o Futebol Brasileiro e pouquissimos irão critica-la.com uma"imprensa"dessa,até eu fico retardado!

Guilherme Scalzilli disse...

Carlos, o problema não é a diferença de riqueza entre os clubes, mas ela determinar a classificação do campeonato. Com eliminatórias e finais, um time pobre tem a chance mínima de triunfar (um gol milagroso no último minuto, por exemplo). Nos pontos corridos, isso ficou simplesmente impossível. É muito menos "errado" o oitavo colocado ser campeão jogando bola do que a TV Globo decidir (pagando) quem levantará a taça, quem irá para a Libertadores, etc. Para haver real justiça nos pontos corridos, todos os times deveriam receber as mesmas verbas.
Um abarço deste pontepretano desiludido.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Nenhuma surpresa. Curintxa e fla são os que mais recebem, são as meninas dos olhos da CBF/Globo, cujos jogos passam sempre. O resto é o resto. Mesmo o Vasco, vice - roubado o campeonato todo - mal tem espaço e tem que se esforçar em dobro pra aparecer.