quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Ciro na berlinda

O papel de “encarregado de serviços sujos” que Ciro Gomes está disposto a assumir para a candidatura governista não é novidade nem caso isolado. Toda campanha tem esses acertos. Aparentemente, Marina Silva e Sônia Francine fecharam os seus, nos respectivos contextos, com o PSDB.
A mídia serrista ainda não sabe o que fazer com Ciro (nem com Marina).
Precisa incensá-lo por dois motivos: a) para gorar o acordo PT-PMDB, espalhando a bobagem de que apenas o deputado impediria José Serra de ganhar no primeiro turno – há meses as pesquisas mostram que Serra não tem chance de vencer no primeiro turno, em qualquer cenário. E b) manter Ciro na disputa nacional, afastando-o da campanha pelo governo paulista. É ali, no tabuleiro tucano, minando o favoritismo de Serra em seu próprio quintal, que Ciro poderá decidir a eleição presidencial. Já disse e continuarei repetindo: Serra não será candidato a presidente se surgir uma forte candidatura adversária em São Paulo.
Ao mesmo tempo, entretanto, os analistas já perceberam a necessidade de impedir que Ciro ganhe importância demasiada como o anti-Serra universal. Um artigo de Elio Gaspari expôs esse medo de forma exemplar: mexeu com nosso governador, toma safanão.
Nas próximas semanas, esses ataques serão mais contundentes, pessoalizados, provocando o temperamento irascível do deputado. A idéia é indispô-lo com o PT, que, graças ao proverbial pendor auto-destrutivo, pode investir numa candidatura própria isolada e rejeitada, oferecendo de bandeja a vitória tucana em São Paulo.

2 comentários:

Davi disse...

"proverbial pendor auto-destrutivo"

Se os cadáveres políticos do PT (Eduardo Suplicy) não atrapalharem demais, até que dá pra segurar o rojão, mas seria bem mais fácil também se os petistas que importam não se esquivassem tanto. Não dá pra marcar gol jogando só na retranca.

Albino disse...

Entendo ser irreversível candidatura de Ciro a presidente por ser, dentre os aliados do presidente Lula, a mais viável.A transferência do domicilio eleitoral para São Paulo deu a Ciro mais visibilidade na imprensa e a sua candidatura ganhou as ruas. As próximas pesquisas irão demonstrar ser verdadeira esta minha percepção.Portanto se presidente Lula quer assegurar a continuidade de seu governo ele deve investir mais nesta candidatura antes que o Ciro, até então aliado fiel a Lula, se sinta traído e restabeleça o dialogo com Aécio Neves e sepulte de vez todas as chances de vitória da candidata do PT.