segunda-feira, 7 de junho de 2010

Resposta a uma leitora


A respeito dos comentários de Andressa Fourquet para o texto “O direito dos outros

Andressa, se os analistas estivessem preocupados com direitos humanos, bastar-lhes-ia sair às ruas. Teriam ocupação para a vida inteira e fariam muito mais pela Humanidade. A maioria desses benfeitores apenas reproduz os ditames da diplomacia estadunidense, tentando atingir o governo Lula. A comiseração deles com o sofrimento alheio é hipócrita. E é essa falsidade que ridicularizo.

Seu comentário envereda por assuntos complexos, que fogem às pretensões deste espaço. Mas ouso discordar da sua abordagem. Para alguém que sobrevive numa grande cidade brasileira, em plena batalha eleitoral, os contrastes puros e os juízos polarizados parecem abstratos demais. Aqui fora o mundo possui muitas modulações cinzentas.

Talvez Ahmadinejad seja um ditador sanguinário. Mas isso não transforma todos os seus antagonistas, dentro ou fora do Irã, em mártires da liberdade. Se quisermos falar sério, precisaremos entender as divisões políticas iranianas, o apoio conferido ao presidente por uma parte relevante da população, o perfil dos opositores, o grau de ingerência dos EUA nas disputas locais, etc.

Também podemos questionar se o isolamento do país levaria de fato à solução do belicismo nuclear ou mesmo das violações de direitos humanos. Desde quando a posição dos EUA é benéfica para a paz mundial? A ONU apartidária que você espera para intervir no Irã não existe. Kosovo e Ruanda são bons exemplos do alcance da solidariedade internacional.

Que “democracia” queremos disseminar pelo mundo? A dos antigos funcionários da KGB, que dominam a Rússia com rigor policialesco? A dos campos de concentração ilegais que Obama perpetua numa praia cubana? A dos tribunais brasileiros, que criminalizam movimentos sociais e reivindicações pacíficas, fazendo vistas grossas para polícias assassinas e um sistema carcerário indigno? Perceba que todos os exemplos foram pinçados em nações formalmente “democráticas”.

Compartilho sua indignação pelas violências praticadas contra todo e qualquer inocente, acima de bandeiras ou circunstâncias. Se podemos tão pouco perante as injustiças, resta-nos ao menos denunciar o farisaísmo de quem as utiliza para objetivos nebulosos.

20 comentários:

Miguel disse...

Bem, Guilherme, é dureza!, mas sou obrigado a concordar contigo sobre toda essa hipocrisia. Por tudo isso é que eu me sinto cada vez mais anarquista.

Andressa disse...

Guilherme, em um ponto parece que concordamos, usar o sofrimento alheio para fazer politicagem é hipócrita. E ouso dizer mais, é imoral, covarde e desumano.

No entando quem esta numa batalha eleitoral acaba tendo visões polarizadas e de contrastes puros como vc disse, somente quem se isenta de visões politicas é que consegue enxergar todas as nuances de um problema. Se vc esta afundado em visôes politicas, acaba inevitavelmente ficando cego para questões humanas.

Para você existem prós e contra Lula, para mim existem seres humanos que merecem ser respeitados independente de sua visão política, crença, filosofia de vida ou seja la o que for.

Questões politicas nao me atraem, nunca me atrairam.

Na tua frase: "Talvez Ahmadinejad seja um ditador sanguinário. Mas isso não transforma todos os seus antagonistas, dentro ou fora do Irã, em mártires da liberdade."
Veja bem Guilherme, quando um governante manda matar, prender e torturar seus antagonistas somente por suas opiniões políticas discordantes não podemos ser tão eufemistas e ingênuos em dizer que "talvez" ele seja um ditador sanguinário. Ele é ditador sanguinário. Ou você tem outra definição para o ato de matar, prender e torturar seus opositores ?
Quem transforma os antagonistas de Ahmadinejad em mártires da liberdade, não são os EUA, mas sim o próprio ditador Ahmadinejad que usa de meios sórdidos e cruéis para calar a voz de seus opositores impedindo assim toda e qualquer liberdade de pensamento discordante do seu.
Penso também que os EUA são os maiores inimigos da paz mundial. Mas o fato dos EUA estarem atrás de uma desculpa esfarrapada para invadir o Irã não faz de Ahmadinejad menos sanguinario, menos covarde,menos truculento.

Este é o ponto, Guilherme. Tentar justificar o genocídio praticado por Ahmadinejad contra seus discordantes com os genocídios praticados pelos EUA contra seus discordantes é hipócrita, imoral e desumano.
Como diz um ditaro angolano : "Na briga de dois elefantes quem sofre é o capim."
Os mortos opositores dos EUA valem mais que os mortos opositores de Ahmadinejad ?

Os mortos pela miséria no mundo inteiro (inclusive no Brasil) tem também algum valor no meio desta politicagem ?

Na minha opinião, vidas têm valores inestimáveis e ninguém deveria usar a perda de uma vida para tentar justificar a retirada de uma outra vida, mesmo em se tratando de opositores como Ahmadinejad e Obama.

Tiago Aguiar disse...

Muito bom o texto. Muitas verdades quando ditas a cidadãos "informados" parecem um choque.

São um choque!

Descobrir que a mídia vende informação não é para qualquer estômago.

Saudações

Andressa disse...

Guilherme, antes de mais nada gostaria de te agradecer pela atenção e mais ainda por demonstrar-se democratico publicando meus comentarios, mesmo que discordantes.
E gostaria de me desculpar pelos erros ortograficos, pois além de escrever correndo , meu teclado nao aceita todos as acentuações do português.

A respeito da intervenção da ONU:
A ONU realmente não é uma organização totalmente apartidária, mas entre a politica genocida dos EUA e a politica não menos genocida praticada pelo ditador iraniano Ahmadinejad, a tendenciosa ONU ainda é a opção "menos danosa".

O que não pode é um povo continuar a mercê de um governo que prende, tortura e mata quem ousa discordar de sua opinião.

Deixo aqui mais uma das inúmeras denúncias contidas na pagina do facebook mantida por refugiados iranianos : " I bet I can find 1,000,000 Against Government Violence in Iran"

"Behzad Bagheri, a student activist, was arrested on Saturday, May 29 in Shahinshahr a city of Isfahan.
According to the Reporters Committee for Human Rights, so far all efforts by his mother and other family members to obtain news on his whereabouts and reason for his arrest has been baffle.

Behzad Bagheri, student of Tehran University student, has been active with “Khak” and “Sunrise” publications, and was previously arrested during the widespread arrest of Freedom fighting students in 2007.

Earlier, Bahman Khodadadi other left-wing student activists in Isfahan, was arrested on May 8. In recent months a number of other left-wing student activists in Isfahan, including Ashkan Shariati summoned and have been summoned to Intelligence ministry and threatened."

Obrigada pela atenção.

Andressa disse...

Vejo que você Guilherme, assim como eu e a grande maioria das pessoas sabe que os USA praticam uma politica genocida que chama a morte de inocentes de "mortes colaterais" e classifica campos de concentração de Guantanamo como "detenção preventiva".

No entanto percebo que ainda relutas em admitir publicamente que Ahmadinejad pratica a mesma politica genocida dos EUA, mudando apenas a nomenclatura do genocídio praticado por seu governo para "justiça" e a prisão e tortura de inocentes para "proteção da ordem pública".

Deixo aqui o endereço de um jornal independente mantido por refugiados iranianos e uma das muitas matérias la contidas que denuncia a prisao e tortura de um blogueiro que discorda da ditadura:

"Reza Ekvanian, Poet and Blogger, was sentenced to six years of prison by the Revolutionary Court Yassuj.
According to Hrana reporters, Reza Ekvanian, a former member of Human Rights Activists in Iran and a member of One Million Signatures Campaign was sentenced 1 year non-suspended and 5 years suspended prison term for insulting the President and Leader of IRI in his Weblog, participating in Tehran’s protests and gatherings and communicating with foreigners via news and reports.
Let it be noted that Mr. Reza Ekvanian, 25 years old from the city of Dehdasht and lives in Yassuj, was detained on the 13th of Bahman of last year by the Ministry of Intelligent Agents with two of his relatives and has been undergoing physical and emotional tortures."

Fonte:

http://www.astreetjournalist.com/2010/06/07/reza-ekvanian-was-sentenced-to-six-years-of-prison/

Felipe disse...

http://1.bp.blogspot.com/_Qsa3Jl9qdY8/SlNM-5pEZ8I/AAAAAAAAAAk/DovJfAUU6Z8/s1600-h/Ir___e_Latuff%5B1%5D.jpg

Acho que essa imagem do Latuff explica bem essa discussão. O ponto é a hipocrisia americana e da nossa mídia de pensamento único.

Ninguém aqui no blog valoriza mais um morto do que outro, todos são seres humanos e toda vida tem peso igual.

Acredito que o que o Guilherme quis apontar é a moral seletiva da nossa imprensa e a hipocrisia que esse tipo de posição acarreta.

Se Ahmadinejad é um ditador sanguinário, que a mídia então trate de forma igualitária as barbaridades do império americano e quando ela for julgar a diplomacia brasileira trate todos os lados com peso igual. Assim como julgue de forma igualitária as decisões do governo Lula, assim como as práticas do Serra e por ai em diante.

Do contrário, é natural julgarmos a imprensa através de um mundo polarizado sim (onde só existem prós e contra Lula)!!!

obs: na minha opinião quem se insenta de visões políticas não significa que enxerga a realidade de forma mais clara, muito menos que enxerga todas as nuances de um problema. As polarizações existem de fato e influenciam as decisões e motivações políticas. O fato de eu ser Lula, de apoiar seu governo e sua visão política não faz eu ficar cego para questões humanas, muito menos eu deixar de respeitar posições diferentes da minha.

Júlio César disse...

Ninguém desconhece os interesses anti-democráticos do Governo Americano no Oriente Médio e o modo como as coisas funcionam no seu quintal , a ONU; agora temos que colocar em discussão o que está acontecendo dentro do Irã.

O Governo de Ahmadinejad é democrático? As últimas eleições foram fraudadas? E o caráter teocrático do regime governamental do Irã consente com os ideais democráticos? Corremos o risco de sermos ditadores da democracia?

Júlio César disse...

Indico a leitura de um artigo do site Carta Maior sobre as eleições no Irã:

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=16054

fog disse...

Andressa, como você não gosta de política e se mantem distante, perde a oportunidade de ver as nuanças políticas dos que são contra e dos que são a favor do governo do Irã. Assim torna-se ingênua e parcial (por ingenuidade), acreditando em tudo que lê no facebook, sem perguntar se existe a possibilidade dos escritores estarem a mando de alguém ou se são os que perderam o poder com a queda do Reza Pahlevi (que era apoiado e sustentado pelos EUA, contra o povo iraniano).
Sem a política nunca irás entender os motivos geopolíticos que levam uns e outros a atacarem outros países, como por exemplo o Iraque, afirmando que estavam protegendo o mundo de armas de destruição em massa, quando estavam apenas atrás do petróleo ( e com o apoio da ONU!!!, e de todos os crentes na informação passada pelos EUA.)
Outras partes do ter artigo, concordo contigo: o ideal seria que colocassemos qualquer vida em primeiro lugar (não nos esquecendo que explorar, empobrecer, deixar ignorante, não permitir acesso à saúde e aos alimentos, etc, é crime de lesa humanidade - apenas não é comentado pelos oportunistas da mídia e pelos poderosos).

Andressa disse...

Felipe, se vc realmente consegue enxergar questões humanitárias, acima das questões politicas, me responda por favor qual a tua opiniâo sobre o fato de Lula estar flertando com ditadores como o iraniano e Fidel Chavez por exemplo.

Fog, eu realmente nao me envolvo com politica, mas isso nao significa que eu desconheça as motivações politico/financeiras que movem a humanidade.
Claro que os opositores sempre usarao os podres de seus adversarios para depreciá-lo. Mas isso nâo significa necessariamente que eles estejam mentindo. Serão parciais, claro. Quem se envolve com partido politico sempre sera imparcial.
Mas os podres dos outros não justificam ou anulam os nossos. O fato de serem adversarios politicos nao torna os EUA e seus cumplices diferentes de Ahmadinejad e seus cumplices. Eles sao apenas adversarios, mas na essência são iguais.
No entanto, o que lhe escapou sobre mim é que eu nao me deixo "impressionar" por qualquer coisa que leio.Eu cheguei até esta página através de refugiados iranianos com quem eu tenho contato pessoal (moro na Suíça). Eles vivem refugiados aqui apenas por terem lutado pela liberdade de poder dizer o que pensam em seu país.
Inclusive ja ofereci ( e a oferta continua de pé) para o autor deste blog o contato de alguns destes refugiados para possiveis entrevistas se ele quiser.

Andressa disse...

Corrigindo o meu ultimo comentario :

Quem se envolve com partido politico sempre sera *imparcial* leia-se paracial.

me responda por favor qual a tua opiniâo sobre o fato de Lula estar flertando com ditadores como o *iraniano, Fidel e Chavez por exemplo.*

Desculpem os erros :-)

Andressa disse...

Guilherme, nao sei se realmente ja te ofereci fazer contato com alguns de meus conhecidos iranianos para uma entrevista.
Agora que reli meu comentario bateu uma duvida se cheguei a escrever isso ou se apenas pensei em escrever e esqueci.
De qualquer forma, a oferta agora esta sendo feita ( ou confirmada :-)

Se vc quiser posso te passar alguns contatos de refugiados iranianos para uma eventual entrevista em inglês.
O jornalista que viveu 4 meses num buraco cavado na terra para fugir do Irã depois de ter sido condenado por discordância do governo, fala e escreve bem em inglês e com ele e sua esposa (também refugiada iraniana) tenho contato pessoal.
Basta avisar que te passo os contatos.

Felipe disse...

Andressa, Lula não defendeu o regime Iraniano. Ele defendeu o diálogo e o respeito. O mesmo se dá com Cuba, com os EUA, Rússia, China e etc.

Ele não está flertando com fulano ou ciclano, isso é papinho da imprensa.

Lula está exercendo princípios básicos da diplomacia que é o diálogo, o respeito.

O Brasil ofereceu mediação num conflito internacional visando a paz mundial (quer coisa mais humanitária que isso??). O Brasil é membro do Conselho de Segurança da ONU, o que implica responsabilidades geopolíticas.

A história comprova que quando falta o diálogo, as chances de guerras e atrocidades aumentam!

Anônimo disse...

Discursinho típico, disfarçado de libertário. "Chavez ditador", "Cuba isso", "Fidel aquilo", francamente quem cai nessa? E ainda vem falar de liberdade chamando um democrata como Chavez de ditador, um presidente escolhido pela maioria do povo. Não vale então o voto e a escolha do povo venezuelano (ah, esqueci,as eleições não foram legítimas)? Basta não "gostar de política" (essa é de doer...) para se ter a legitimidade de apontar o dedo para onde se queira e acusar? Quando leio alguém babando de raiva por causa do Fidel, já fico com um pé atrás, afinal em toda a América latina se veem violações aos direitos humanos, mas estranhamente, só parece existir humanos em Cuba, ou Venezuela, ou Bolívia.
E não, Ahmadinejad não é ditador, também foi eleito pelo povo, e se os jornalões, os EUA, e Israel ou todo o Facebook não gostaram, o problema é deles (não caio mesmo nessas historinhas de Yoanis Sanchez, "libertarios" de araque).
Enfim, essa de apartidarismo não cola, voto e votarei no PT (que tem problemas e contradições - não sou ingenuo), e isso não me desqualifica para opinar sobre o que quer que seja (bem ao contrario, o que não convence é essa aversão à política). Quem se "isenta de visões políticas" fica mesmo é caminhando nas nuvens.

Davi

Andressa disse...

Felipe, se vc realmente acredita naquilo que escreveu, ao menos fico feliz que vc nao aprova atrocidades praticadas por ditadores com o iraniano. Mesmo vendo as coisas diferentes de como vc vê. Realmente fico aliviada que existem pessoas que se preocupam mais com pessoas que com politicagem. Nao importando a mim se concordo ou nao com a maneira como estes olhem a situaçao.


Davi,se vc quiser fazer uma viagem a Europa podera ir e vir sem problemas. Ja a blogueira cubana é impedida de deixar o país. Se isso nao é ditadura, nao sei mais o que é. Se impedir que o povo eleja seu presidente como faz Fidel, nao é ditadura o que é entao?
E se mandar MATAR e TORTURAR seus opositores como faz o ditador iraniano nao é ditadura o que é ?
E ainda sou eu que ando nas nuvens ? :-)

Bem Davi, com vc nao adianta dialogar. Uma pessoa que admira ditares e que coloca politicagem acima de direitos humanos como a própria vida e a liberdade de ir e vir ,é uma pessoa para quem o dialogo nao serve de nada. Se vc fosse presidente do Brasil e eu morasse la, certeza que agora minha casa seria invadida a mando teu...

Entao Davi, continue com teus idolos assassinos repressores, que eu continuo com meus amigos refugiados que lutam pela liberdade.
Daqui ha uns anos quando eu estiver bem velhinha, vou olhar pra traz e me orgulhar por nao ter compactuado com genocidas. E vc ?

Anônimo disse...

Andressa,

Não simplifique as coisas. A sua querida Europa é muito pior que os bichos papões que você enumera (os europeus foram e continuam sendo os hipocras - invadem, matam e saqueiam, e depois apontam o dedo p/ os outros paises exigindo "civilização").

Defendo e defenderei o regime Cubano. Você não dá importancia as conquistas da ilha porque não liga, não daria a minima p/ o que poderia acontecer ao povo de lá, caso houvesse uma invasão proomovida pelos seus maiores interessados: EUA e europa. Vide o caso do Haiti: Jean Bertrand Aristide caiu por tentar implementar políticas sociais, e em seu lugar foi entronado o preposto ianque, e a partir daí, abriram-se as portas p/ o lucro descarado com "reconstrução" do país e instalação de fábricas escravistas, além é claro dos exercitos que a ONU mandou pra la p/ dar uma lição no povo (com uma vergonhosa atuação do Brasil, aliás). Sabe porque Cuba não pode vacilar, minha cara? Porque, dada a sua posição geografica, a vulnerabilidade é bem maior, afinal o Mexico esta na situação em que está pela proximidade com o imperio (entre outras razões); mas não tem importancia, afinal o Mexico goza de uma democracia consolidada, seu povo pode escolher o presidente que quiser, não é?, mesmo que isso signifique nada mais que um teatro da burguesia.

Sobre Ahmadinejad, não adianta, você insiste em repetir a cantilena da mídia hegemonica (pessoas morreram sim, durante a ultima eleição, mas por causa de uma tentativa de golpe endossada pelo ocidente e por Israel, pra dizer o minimo).

Outra coisa, eu não disse que admirava ditadores, como o Fidel por exemplo, mas não há duvida que defendo o regime cubano (penso no povo, não sou ingenuo ou mal intensionado, sei o que representaria a abertura politica: a miseria, a falta de tudo tão duramente conquistado), mas pessoas xiitas não entendem que o foco possa ser desviado dos Castro, não conseguem (não querem, na verdade) aceitar outras possibilidade para o povo cubano, recusam de imediato, tal como fundamentalistas diante do óbvio.

Por fim, carissima, se eu fosse presidente do Brasil, pode ter certeza, voce não seria expulsa ou torturada. O erro do seu julgamento sobre mim é que pessoas fundamentalistas como voce inventam certas verdades, e a partir delas, tentam inferir outras verdades torcendo a realidade ao proprio favor.

Davi.

Andressa disse...

Davi... uma coisa vc tem razão pessoas radicais(xiitas como vc escreveu) realmente nao gostam de enxergar as coisas como elas sao.

Entao os iranianos refugiados que eu conheço e convivo pessoalmente, estao afastados de seus entes queridos, longe de sua terra, nao podem voltar nem para rever pessoas que eles amam. Mas segundo vc é tudo invenção da cabeça deles pra prejudicar o Lula nao é mesmo ? As familias destroçadas, que vivem aqui, cujos filhos nao têm nem direito de conhecer avos, primos, tios e nao têm nem mesmo voz, pois têm medo de falarem muito e prejudicarem seus parentes que vivem sob o cajado do ditador Ahmadinejad sao todos mentirosos nao é ? Minha amiga brasileira que ha 1 semana atras esteve no Irã a trabalho e nao conseguia acessar a internet e nem usar o celular dela (que é internacional) tb inventou tudo. Com certeza vc é o dono da verdade e eu estou cercada por mentirosos cujo unico objetivo é prejudicar o Lula e ajudar os USA :-)
E claro a Anistia internacional também é uma organizaçao mentirosa, assim como os Reporteres sem Fronteiras, estao todos mentido, todos contra o Lula.
Os relatos de estudantes presos e torturados e assassinados a mando do governo ESTE ANO, que estao no site da Anistia Internacional é tudo intriga da oposiçao.Claro...

Fidel nao deixa o povo cubano exercer o direito de ir e vir, saindo e entrando do pais como qualquer cidadão normal somente pq quer proteger o povo cubano.Claro...

Se vc pensa que Cuba é um lugar tão bom para se viver,que o sistema é maravilhoso, pq nao se muda para la ? Só uma coisa, tenha certeza que é isso que vc quer, pois uma vez que se arrepender, talvez nao possa mais sair ..

Muito ao contrario doque vc escreveu, eu ja cansei de escrever aqui que sou contra invasao de paises. Mas vc claro, como todo radical, decide até qual é a verdade alheia.

Vc alguma vez na vida ja pensou em deixar de lado suas visoes politicas e olhar o lado humano ? Ja conversou 1 vez (só uma ao menos) PESSOALMENTE com algum refugiado como AMIGO, para perguntar o que eles pensam do regime de seus paises ? Eu ja! E é daí que vem a minha opinião, de ouvir cidadãos destes paises.
Esta é a diferença entre uma visao humana e politicagem.

Anônimo disse...

Andressa,

Enquanto você continuar dizendo que eu sou amigo de ditadores e inimigo de refugiados (e voce insiste nisso), essa discussão não vai a lugar algum. Apesar disso ela é boa para expor dois lados da situação: a sua, que diz haver um lado "bom", o seu, claro, e um "mau", o meu. Eu, pelo menos, jamais tratei do assunto dessa maneira, não sou santo (como você parece ser) e nem quero se-lo.
O que eu tenho insistido aqui é que por meio da política (e não "politicagem"), é possível ter uma visão um pouco mais ampla da situação desses dois "odiosos" países (Cuba e Irã): da minha parte, entendo que tergiversar com o império ou com Israel ou com os europeus, é complicado, pois qualquer brecha significa invasão e violencia. Leia este texto (http://www.prensalatina.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=196780&Itemid=1), e veja como agem os "civilizados", e tente também fazer uma previsão do que isso significaria futuramente se aqueles dois países fossem um pouco mais "frouxos" com os "bem intencionados" (refiro-me à grita que fazem a mídia e certa categoria de dissidentes bem pagos, como aqueles cubanos de Miami, por exemplo). Alíás, não precisa nem prever, é só pesquisar no passado recente, está cheio de exemplos dessa turma que não respeita ninguém, só o proprio bolso.
Sobre as pessoas que voce conhece e que sofrem, eu sinto muito, muitissimo mesmo, mas não dá pra generalizar. É como eu já disse, condenar povos inteiros só pra satisfazer os caprichos predatorios dos "civilizados"? Não mesmo.
Pra terminar, esses argumentos de me mandar morar em Cuba, ou achar que escrevo para defender Lula, são lamentáveis. Seria mais honesto da sua parte, se me mandasse morar no Afeganistão, ou Iraque, ou Haiti, ou qualquer desses países invadidos pelos "civilizados".

PS: o texto que indiquei está tb no blog do Amoral Nato.

Davi

Felipe disse...

Sobre Cuba sugiro a leitura desse texto:

http://diplomatique.uol.com.br/acervo.php?id=606&tipo=acervo

Abraços

Anônimo disse...

Não conhecia o texto, Felipe. Excelente, desmistificador. Obrigado.

Davi